Nos tempos do Orelhão, será que você lembra? Nos tempos do Orelhão, será que você lembra? | Mauá Memória e Cultura




Alex Ferreira

Os chamados orelhões surgiram em 1972 e tiveram sua estréia no Brasil em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. Só mais tarde chegaram a outras cidades. Quando foi inventado, o usuário precisava de moedas para realizar suas ligações, você é da época de colocar moedas  no orelhão? se for escreve nos comentário e nos conte sua experiência, depois vieram as fichas, até que estas foram substituídas pelos cartões telefônicos usados até hoje. 

E das filas você lembra das enormes filas no orelhão? era cada fila gigantesca, principalmente no centro da cidade, não importa quantos orelhões tivesse, você tinha que ficar ali esperando o pessoal terminar aquele maço de fichas que comprou.


Bem no começo lembro que era igual essa imagem acima um maço de fichas e cada uma durava 3 minutos e para ligações DDD era um minuto, ai juntava a família pra ligar para aquele parente na Bahia e lotava o orelhão comprava suas 20 fichas e ficava ali um bom tempo conversando com a família toda, eram bem melhor que carta né? que demorava as vezes uma semana para chegar.


Nossas queridas fichas, sempre tinha pra vender no caixa da Padaria e também no mercadinho da esquina e quantas vidas uma simples ficha dessas já salvou né? e as brigas de namorados via telefone público? o pessoal esperando pra ligar e o "pau comendo" ali na sua frente.

  
A grande novidade nos anos 70 o telefone público, aquela época que a única vizinha que tinha telefone no bairro deu aquele "ufa" por que nessa época muita gente as vezes até reclamando liberava o telefone de casa para os vizinhos usarem e alguns até cobravam o uso, saudades dessa época em que as pessoas eram mais unidas que hoje mesmo a contragosto.


Ai você estava no centro da cidade resolvendo algum problema da empresa e tinha que ligar urgente para seu chefe para passar alguma informação e chegava no orelhão LOTADO ia tentar usar o orelhão do lado e estava quebrado ou algum engraçadinho colava chiclete ou passava doce nele, naquela época até usar um telefone público era emocionante.
E quanto você estava paquerando e acabavam as fichas ou brigando com a namorada e tinha que sair pra comprar mais fichas e chegava e o orelhão lotado novamente.


 Cena rara numa grande cidade telefones públicos vazios, com certeza as fotos foram tiradas bem cedinho, a felicidade de donos de bares e padarias era tem um telefone público interno por que ai o local virava ponto de referência e o espertinho podia usar para receber ligações já que estava dentro de sua padaria e ai economizava e não precisava pagar aquela fortuna numa linha de telefone que era coisa para ricos até a metade dos anos 90.


Lembro desse aviso nos gibis no começo dos anos 90, tinha uma monte de "disque alguma coisa" de disque Turma da Mônica, passando por disque Horoscopo e disque sexo.
Ai por acaso eu descobri que dava para ligar no Disque Mônica do orelhão usando as fichas telefônicas, então fiquei um bom tempo fazendo isso, comprava as fichinhas e ira para o orelhão ouvir as histórias da Turminha, depois acho que a empresa bloqueou por que não consegui mais, isso foi em 1991 mais ou menos.


Depois no meio dos anos 90 surgiram os telefones de cartão que existem até hoje e o grande medo era que a pessoa que estivesse na nossa frente na fila para usar tivesse um cartão de 50 créditos na mão e tinham várias lendas urbanas e gambiarras para fazer o cartão durar mais ou até para fazer um cartão infinito então a molecada ia para o orelhão ficar tentando essas coisas que pelo menos pra mim nunca deram certo.


A febre dos anos 90 foi colecionar cartão aliás o que não se colecionava nos anos 90? eu mesmo colecionava maço de cigarros e graças a Deus nunca fumei, mas colecionar cartão era uma mania naquela época e tinha até encontro de colecionadores e cotação de preços de figuras raras e tinha gente que vendia cartões sem créditos no centro da cidade para quem colecionava.



Só para finalizar esse momento nostalgia dos orelhões que tal lembrar da bagunça que eram alguns orelhões lotados de adesivos com telefones de garotas de programa? bem acho que vi isso só no centro de São Paulo mesmo, pois na cidade que eu moro eram bem pouco e nos bairros também nunca vi isso, mas no centro dava até medo de usar o telefone, até o próximo texto viajando pela nostalgia.

Deixe nos comentários coisas curiosas que já aconteceram com você quando estava usando o nosso saudoso Orelhão.





Postar um comentário

Seja bem vindo e deixe sua mensagem